Os fumantes apresentam cerca de três vezes mais risco de morte prematura por problemas cardiovasculares em comparação com quem nunca fumou. E o risco é ainda maior entre as pessoas que fumam desde a infância. É o que aponta uma pesquisa divulgada no Journal of the American Heart Association. Os pesquisadores coletaram os dados de mais de 390 mil adultos, com idades que variavam de 25 a 74 anos, sendo 56% mulheres. Foram avaliados os históricos médicos, os hábitos de saúde e os dados demográficos.

O que a pesquisa apontou?

  • 23% eram ex-fumantes e 19% ainda fumavam
  • Entre os fumantes atuais, 2% começaram antes dos 10 anos e 19% iniciaram entre os 10 e 14 anos
  • Quem parou de fumar aos 40 anos reduziu o risco de morte prematura por doença cardiovascular em cerca de 90%
  • Parar de fumar em qualquer idade oferece benefícios para a saúde e quanto antes, melhor – quem abandonou o vício entre 15 e 34 anos teve quase o mesmo risco de morrer de doença cardíaca ou derrame.

“Impedir que a próxima geração fume pode salvar vidas. É importante comunicar os benefícios para a saúde para aqueles que ainda fumam, antes do início de doenças graves. E destacar que o quanto antes a pessoa abandona o tabagismo, melhor será para sua saúde e diminuirá o risco de morte prematura”, afirma Blake Thomson, autor do estudo.

O que acontece com o corpo após parar de fumar

As evidências científicas indicam que parar de fumar antes dos 40 anos pode reduzir em 90% as chances de morte pelas doenças relacionadas ao tabaco. E os benefícios dessa iniciativa começam a ser contabilizados já após 20 minutos da cessação, quando a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal.

Veja o que acontece com seu corpo nas horas seguintes à cessação:

  • Após 2 horas: não há mais nicotina circulando no seu sangue;
  • Após 8 horas: o nível de oxigênio no sangue volta ao normal;
  • Após 12 a 24 horas: há melhora das funções pulmonares;
  • Após 2 dias: você já percebe melhor os odores e sabores;
  • Após 3 semanas: a respiração se torna mais fácil, a circulação melhora;
  • Após 1 ano: o risco de infarto reduz pela metade;
  • Após 10 anos: o risco de infarto é igual ao das pessoas que nunca fumaram; o de câncer de pulmão também é reduzido à metade. A essa altura, a contabilidade também já mostrou os benefícios econômicos da cessação.

 

Fonte: https://www.uol.com.br/vivabem